Espalhe por Whatsapp

6 jogos icônicos da última década para assistir durante o hiato da NBA

A NBA está com suas atividades suspensas por conta da pandemia do novo corona vírus que se alastrou pelo mundo e fez com que diversas outras ligas esportivas e grandes eventos fossem suspensos ou cancelados. Durante este tempo, o fã de basquete se encontra sem saber o que fazer direito, então para ajudar nesta decisão, preparamos uma lista com seis jogos icônicos da última década da NBA que merecem ser assistidos novamente. 

Warriors vs. Cavs: Jogo 7 das Finais de 2016

Image title

2016 foi um dos anos mais loucos da história da NBA. Depois de o Golden State Warriors fazer história com a melhor campanha em temporada regular (73-9), o Cleveland Cavaliers de LeBron James literalmente virou a mesa e se tornou o primeiro time a virar uma desvantagem de 3 x 1 na história das Finais da NBA. Neste decisivo jogo 7, vários momentos são icônicos, como o arremesso de Kyrie Irving que deu a vantagem ao Cavs, a defesa de Kevin Love sobre Steph Curry em uma posse decisiva e, é claro, o toco de LeBron em Andre Iguodala em jogada que daria vantagem ao Warriors nos momentos finais.

Thunder vs. Warriors: Jogo 6 das Finais do Oeste de 2016

Image title

Antes de chegar na Final contra o Cavs, o Warriors de 2016 passou por uma prova de fogo nas finais do Oeste. Depois de estar também perdendo por 3x1, o time virou para cima do Oklahoma City Thunder de Kevin Durant e Russell Westbrook de maneira espetacular. O principal jogo desta sequência foi o de número 6 da série, quando Klay Thompson pegou fogo e anotou 41 pontos em uma partida espetacular que só foi decidida nos instantes finais. O ala-armador do Warriors ainda bateu o recorde de mais bolas de três em um jogo de playoffs, com 11 acertos. Eliminado, Durant deixaria o Thunder naquela offseason para assinar com o próprio Warriors, em uma das decisões mais polêmicas da história da NBA.

Lakers vs. Jazz: Despedida de Kobe Bryant

Image title

Kobe Bryant foi um dos pontuadores mais explosivos que o basquete já viu, e também o atleta mais querido pela torcida do Lakers, a maior da NBA. Quando ele anunciou sua aposentadoria, em 2016, ninguém esperava muita coisa de suas últimas performances na liga. Com uma série de lesões desde que rompera o tendão de Aquiles em 2013, Kobe já não tinha mais físico para desempenhar as pontuações de outrora. Entretanto, ele nos brindou com uma grata surpresa em sua última partida. 60 pontos contra o Utah Jazz, diante de um Staples Center lotado e incrédulo.

Heat vs. Mavs: Jogo 2 das Finais de 2011

Image title

Em 2011, a liga foi tomada de assalto pelo supertime do Miami Heat. LeBron James, Dwyane Wade e Chris Bosh, todos no auge, haviam decidido unir forças e dominar a NBA pelos próximos anos. Muitos esperavam que aquele time se tornasse uma dinastia, mas coube a um time de veteranos irreverentes mostrar que não era bem assim. O Dallas Mavericks, liderado pelo alemão Dirk Nowitzki, bateu o Heat nas Finais daquele ano e conquistou seu único título da NBA. O jogo 2 foi a chave disso tudo. Com o Heat liderando a série por 1x0, o time vencia tranquilamente em Miami por 15 pontos de diferença com 7 minutos por jogar no último período. A partir daí, o Mavs reagiu e encaixou uma série de 20 x 2 para tomar a liderança por três pontos com apenas 26 segundos no relógio. No lance seguinte, Mario Chalmers empatou para o Heat, mas aí veio a maior jogada da carreira de Dirk Nowitzki, com uma bandeja desajeitada de mão esquerda que deu a liderança e a vitória ao Mavs, que seguiria para vencer a série em 6 jogos.

Heat vs. Spurs: Jogo 6 das Finais de 2013

Image title

Apesar da derrota em 2011, o Heat corrigiu seus erros e mostrou que era sim um time histórico ao dominar a NBA entre 2012 e 2013. Apesar disso, a maior prova desta grande equipe veio justamente nas finais de 2013, contra o veterano time do San Antonio Spurs. No decisivo jogo 6, o Spurs liderava a série por 3x2, e com uma vitória garantiria o título. A partida, disputada em Miami, foi emocionante e o Spurs liderava por 95x92 nos instantes finais, com bola do Heat. Depois que LeBron James erra um arremesso, o perfeitamente posicionado Chris Bosh encontra Ray Allen no canto, e o exímio arremessador não desperdiça uma bola de três que empata o jogo e garante a prorrogação, onde o Heat vence por 103 x 100. No jogo 7, em San Antonio, Miami vence e garante o bicampeonato. O Spurs teria sua vingança no ano seguinte ao derrotar o mesmo Heat nas Finais de 2014, último ano de LeBron em Miami.

Celtics vs. Heat: Jogo 6 das Finais do Leste de 2012

Image title

Outro jogo marcante nesta trajetória do Miami Heat veio em 2012, na Final do Leste, contra o veterano Boston Celtics. O time, liderado por Kevin Garnett, Paul Pierce e o mesmo Ray Allen que depois se juntaria a LeBron tinha sido campeão em 2008 e finalista em 2010, e era uma ameaça real ao Heat. Já LeBron e seus companheiros precisavam ganhar para apagar o estigma deixado pela derrota em 2011, e tudo pareceu desmoronar por um segundo durante o jogo 6 desta série. O time celta liderava o confronto por 3x2 e jogaria esta partida em Boston. LeBron não deixou margem para dúvidas: seus 45 pontos e 15 rebotes acabaram sendo uma das atuações mais marcantes da história dos playoffs da NBA, e o Heat venceu a partida e a série no jogo seguinte. Em Boston, este jogo marcou o fim de uma era. Ray Allen assinou com o próprio Heat na offseason, enquanto que Kevin Garnett e Paul Pierce foram trocados para o Brooklyn Nets no ano seguinte.

Curta o som Hoop78!

Este pode ser o motivo pelo qual o Warriors ainda não fez uma troca esta temporada

Renato Campos
Renato Campos

Com o Warriors tendo uma temporada surpreendentemente bem-sucedida, mesmo sem o All-Star Klay Thompson, eles parecem mais candidatos aos playoffs a cada semana. Embora eles ainda estejam lutando para juntar as peças dessa quase nova escalação do Warriors, considerar fazer mais uma adição ao elenco pode ajudar a transformar o Warriors em um time de playoffs.

Adicionar outro jogador estrela ao elenco do Golden State seria de fato benéfico. No entanto, qualquer troca blockbuster que o Warriors poderia potencialmente propor incluiria mais do que provavelmente Andrew Wiggins, e o Warriors pode não estar pronto para se separar de seu armador ainda.

Andrew Wiggins pode ser o motivo

Um fator-chave para o sucesso dos Warriors atualmente, e por que eles têm sido capazes de acalmar os críticos da pré-temporada, é em grande parte o desempenho MVP de Stephen Curry nesta temporada. O Warriors foi de fato o pior time de toda a liga na temporada passada, com Curry jogando apenas cinco jogos, e é garantido que os resultados seriam os mesmos se não fosse por Curry. Ele tem uma média de 29,4 pontos, 6,1 assistências e 5,4 rebotes - tudo o que ele precisa para combinar com seus bons números são mais vitórias.

Curry não está apenas carregando uma carga ofensiva pesada para o Warriors, mas a escolha número 1 do draft da NBA de 2014, Wiggins, também se tornou um dos jogadores mais conceituados do time.

Esta temporada será a primeira temporada completa de Wiggins com a equipe e ele causou impacto em quase todos os jogos. Ele conseguiu se manter saudável e ser eficaz no lado defensivo contra o qual o Warriors está lutando. Seu crescimento como jogador no plantel do Warriors foi evidente. Em suas seis temporadas na NBA, embora ele tenha tido uma média de 20 pontos ou mais em três delas, sua porcentagem de arremessos não passou de 45,9%, até esta temporada com o Warriors.

Wiggins agora está atirando em 46,8%, que é o recorde de sua carreira. Ele também está liderando o time em tocos por jogo, assim como o time está tendo problemas defensivos nesta temporada.

Se o Warriors propusess uma troca de sucesso nesta temporada, eles teriam que igualar os salários do jogador que chegasse, que é onde Wiggins entraria em jogo. Ele está atualmente recebendo $ 29,5 milhões nesta temporada e deve $ 65 milhões nas próximas duas. No entanto, esse foi o preço que eles tiveram que pagar quando negociaram com D’Angelo Russell e conseguiram a escolha do primeiro turno do Timberwolves em 2021.

Wiggins fazendo jus ao seu salário

Além de pagar Wiggins, a equipe também tem Curry, Klay Thompson e Draymond Green, todos com contratos de alto salário. Então, para trazer um jogador de sucesso, trocar um desses quatro seria uma obrigação, e os três últimos provavelmente estão fora de questão.

No entanto, Wiggins fez um trabalho decente garantindo que seu nome não fosse mencionado em rumores de troca até agora. Ele está atualmente com uma média de 17,6 pontos nesta temporada e se esforça para desbloquear todo o seu potencial no elenco do Warriors e ajudar o time a chegar aos playoffs.

No entanto, ainda há uma grande chance de que o Warriors possa aumentar seu ritmo e lutar por uma classificação mais alta. A equipe está atualmente apenas 2,5 jogos atrás do Suns, que está em quarto lugar na Conferência Oeste. O Warriors também teve uma dos calendários mais difíceis da liga até agora.

A melhora no jogo de Wiggins pode ser a razão pela qual o Warriors não se envolveu em uma troca blockbuster, embora o prazo da NBA não seja até 25 de março. Mas, com Wiggins ainda no elenco, a equipe pode ter um futuro brilhante.

Curta o som Hoop78!