Espalhe por Whatsapp

Você sabia que Michael Jordan e outros donos de times da NBA são sócios em uma marca de tequila?

Ricardo Romanelli
Ricardo Romanelli

A NBA, como todos sabem, é uma liga cujos sócios são os donos das franquias, que buscam produzir o melhor campeonato de basquete com bons lucros para todos. O que poucos sabem, é que muitos destes donos também se associam em outros negócios fora das quatro linhas. 

Em 2016, Michael Jordan, bilionário dono do Charlotte Hornets e maior atleta da história do esporte estava aguardando sua mesa em uma pizzaria em Manhattan (New York). Vários donos de franquias estavam na cidade para reuniões da liga, e Jordan tinha marcado de se encontrar lá com alguns colegas. Jeanie Buss (Los Angeles Lakers), Wes Edens (Milwaukee Bucks) e Wyc Grousbeck (Boston Celtics) e sua noiva, Emilia Fazzalari. Ocorre que, por um erro do sistema de reservas, a mesa deles tinha sido registrada para a próxima semana, e com isso eles tiveram que esperar 40 minutos até que tivessem a oportunidade de sentar. 

Os quatro donos da NBA não tinham muita afinidade, e tinham marcado este jantar justamente para estreitar laços. Enquanto esperavam, começaram a falar sobre tequila, a bebida favorita de Jordan, que tinham consumido mais cedo. Todos se mostraram apreciadores da bebida, e acabaram conversando sobre quais as características necessárias para fabricar a tequila perfeita - uma bebida que fosse macia e com um final marcante, como um bom conhaque ou whisky. 

"Foi aí que percebemos a oportunidade de criar uma nova tequila, uma tequila melhor. Baixamos a guarda e nos tornamos amigos naquela noite." - Emilia Fazzalari. 

Image title

Nascia aí a tequila Cincoro, cujo próprio nome reflete seus criadores. Em espanhol, a junção das palavras Cinco + Oro (ouro) representa os cinco donos e o padrão ouro que a bebia se propõe a ter. Cinco, coincidentemente, também é o número de atletas em um time de basquete. 

O negócio deu muito certo e logo no começo o produto caiu no gosto dos consumidores, ao ponto que os novos sócios já tiveram problemas para atender toda a demanda. Edens, que fez sua fortuna no setor de logística, disse que este seria o maior desafio da empresa em seu início: 

"Vendemos 300 caixas em Massachusetts nos primeiros três dias. Na Florida, com apenas uma semana de venda, já tivemos pedidos de reposição." - Wes Edens. 

A ideia de Jordan e seus pares da NBA veio no momento e no mercado certo. Os EUA são o país que mais consome tequila no mundo, com mais de 18 milhões de caixas por ano, o que representa 56% do mercado global. Apesar disso, este número representa apenas 10% do consumo de destilados no país, o que aponta um espaço gigante para crescimento no setor de tequila. 

Hoje, a tequila Cincoro já se posicionou como uma das marcas mais caras e premium do mercado. Com quatro variedades, os preços começam em US$ 130 para a tequila añjeo e chegam até US$ 1.600 para a qualidade extra añjeo, a preferida de Jordan. 

Este sucesso é fruto de um trabalho encabeçado por Jordan, Fazzalari e Edens, que provaram mais de 1.000 tequilas diferentes para avaliar os sabores e decidir qual direção iriam tomar. 

"O desafio foi encontrar o equilíbrio entre maciez e impacto final, porque percebemos que quanto mais macia a bebida, mais perdíamos no final." - Fazzalari. 

Com o rápido crescimento, muitos investidores já quiseram iniciar conversas para adquirir a marca, mas os cinco sócios garantem que não têm pressa para vender e querem aproveitar o momento. "Pensamos a longo prazo", garante Fazzalari, "queremos lançar outros tipos de tequila e destilados."

Image title

Dá um play e confira o que rola no nosso podcast!