Espalhe por Whatsapp

O curioso caso das camisas aposentadas do Orlando Magic

Ricardo Romanelli
Ricardo Romanelli

Aposentar uma camisa na NBA, é a honra máxima que um jogador pode alcançar junto a uma franquia. Significa que as contribuições dele para a organização foram importantes demais para serem esquecidas.

Alguns times, como Boston Celtics e Los Angeles Lakers, possuem diversas lendas com camisas aposentadas em sua história, tornando às vezes até difícil para que os jogadores atuais escolham números (principalmente no Celtics). Outros times, como o Miami Heat, homenagearam até jogadores de outros times. A equipe da Flórida aposentou a #23 de Michael Jordan por suas contribuições ao basquete.

Há também times que "aposentam" um banner de microfone, em homenagem a grandes locutores de sua história, como é o caso de Chick Hearn (Lakers) e alguns outros.

Mas nada é tão estranho como o Orlando Magic. Fundada em 1989, a jovem franquia já coleciona duas aparições em finais da NBA e diversos grandes jogadores em sua história. De maneira bizarra, a equipe não tem nenhuma camisa de jogador aposentada, e pior: se fosse aposentar os números merecedores, teria que aposentar duas vezes a mesma camisa!

Antes de mais nada, compete deixar claro que a camisa #6, única aposentada pelo time, é em homenagem à torcida, que seria o 6° jogador em quadra. Não existem, portanto, números aposentados em homenagem a jogadores.

Shaquille O'Neal (32), Penny Hardaway (1), Tracy Mcgrady (1) e Dwight Howard (12) seriam os candidatos mais óbvios a terem seus números eternizados. Todos foram All-Stars mais de uma vez pela franquia. Shaq e Penny lideraram o time até as finais de 1995, onde o time foi derrotado pelo Houston Rockets de Hakeem Olajuwon. McGrady foi o maior cestinha da NBA e jogou o auge da carreira pela franquia, enquanto que Howard foi o grande jogador que liderou a franquia às finais de 2009, onde a equipe perdeu para o Los Angeles Lakers. Shaq e T-Mac estão no Hall da Fama, e Dwight Howard provavelmente também estará quando se aposentar. Além deles, o armador Jameer Nelson (14), principal companheiro de Howard no time de 2009, seria outro bom candidato.

Mas se a franquia tem tantos bons jogadores, por que não tem nenhuma camisa aposentada?

Uma explicação possível, é que nenhum desses jogadores saiu da equipe muito aplaudido. Shaq assinou com o Los Angeles Lakers depois de 4 anos em Orlando, justo quando entraria em seu auge. Hardaway foi trocado para o Phoenix Suns em 1999, depois de seis temporadas, quando lesões começaram a desacelerar sua carreira. McGrady pediu para ser trocado em 2004,0 após quatro temporadas, e foi negociado com o Houston Rockets. A mesma postura teve Dwight Howard, após oito anos com a franquia, e foi trocado para o Los Angeles Lakers.

Então é possível afirmar que, os quatro que possivelmente são os jogadores mais marcantes da história do time, saíram em termos ruins de Orlando.

Mas isso não é impeditivo para que sua contribuição seja reconhecida posteriormente. Afinal, negócios são negócios. O próprio Shaq acabou saindo brigado do Lakers, e teve sua camisa aposentada em Los Angeles.

Mas olha só o dilema em que o Orlando Magic se meteu: Hardaway e McGrady usavam a mesma camisa, a #1. Qual deles mereceria ter o número eternizado? Ou será que aposentariam o mesmo número para dois atletas? Dwight Howard ainda não se aposentou, e poderia ser homenageado quando parasse de jogar. Mas como o Magic justificaria aposentar a camisa dele, e não a dos outros três?

É uma decisão difícil, impossível de encontrar uma solução que agrade a todos. Então, o que fez a franquia para driblar isso? Criou o "Hall da Fama do Orlando Magic", uma ala temática em seu ginásio em que homenageia não apenas ex-jogadores, mas também ex-dirigentes.

Neste hall estão Hardaway e O'Neal, acompanhandos pelo ala-armador Nick Anderson, que era companheiro de time deles nos anos 90, além de Jimmy Hewitt, fundador da franquia; Rich DeVos, atual dono; Pat Williams, que foi um dos idealizadores da franquia em Orlando; é a mais nova adição, em março de 2018, Tracy McGrady. Ébastante provável que Howard e Nelson sejam, também, homenageados ao final de suas carreiras.

E é assim que o Orlando Magic resolveu este impasse. De maneira proposital ou não, a equipe não aposentou as camisas de seus grandes atletas ao longo dos anos, e com isso se viu obrigada a criar algo diferente para justificar. Interessante ou não?

Dá um play e confira o que rola no nosso som!