Espalhe por Whatsapp

Antoine Walker: a reviravolta após declarar falência

Renato Campos
Renato Campos

Antoine Walker tinha tudo.

Tudo começou quando em 1996. Walker foi selecionado no Draft na sexta posição pelo Boston Celtics, time que defendeu por oito temporadas antes de passar pelo Mavs, Hawks, Heat e Wolves.

Logo em sua primeira temporada, causou impacto imediato no time de Boston liderando o elenco em pontos, rebotes e fazendo parte do melhor time de calouros.

Durante sua carreira, Walker se tornou capa do clássico jogo NBA Live, três vezes All-Star, foi campeão pelo Heat e recebeu algo em torno de 108 milhões de dólares em contratos - número quatro vezes maior do que a média de um jogador da liga.

Em 2010, dois anos após jogar o seu última partida como jogador da NBA, tudo se acabou.

Carros, roupas, iates, apostas, e a pressão em ajudar familia e amigos, foram algum dos motivos que levaram o ex-jogador à falência.

Ser um jogador de NBA me fez ter um estilo de vida muito caro. Eu vivia muito bem e podia cuidar de mim e também dos meus irmãos e irmãs. Eu era o mais velho dos seis filhos e vi minha mãe dar conta de todos nós sozinha. Eu tenho dois filhos, e acabei ajudando também alguns amigos. Cuidava de pelo menos sete ou oito que cresceram comigo. Queria que eles tivessem a mesma vida que eu.

Walker, que nunca usou o mesmo terno por duas vezes e teve mais carros que poderia contar com os dedos das mãos, acelerou sua falência quando investiu no ramo da construção civil. Ele comprou cerca de 140 propriedades na zona sul de Chicago e também em Miami e pretendia com elas aumentar ainda mais a sua fortuna. Nada feito. Com a recessão vivida pelos americanos naquela época, o mercado parou e Walker se viu atolado em dívidas.

Tinha vários fetiches... casas, carros, relógios, jogo. Quando somos milionários temos de aprender a dizer não. Tinha cinco irmãos e muitos amigos... fui demasiado generoso com eles. Também perdi muito a pagar impostos. Agora gosto de contar a minha história. Se servir para ajudar os jovens a não cometerem os mesmos erros, então valerá a pena.

Olhando para o passado, Walker diz ter se arrependido das decisões de investimento que tomou, que aconteceram antes mesmo de se aprosentar da NBA. Com seu tempo totalmente dedicado ao esporte, ele não conseguiu controlar o que acontecia fora das quadras.

Walker se declarou falido e enfrentou um longo processo de mais de dois anos com suas contas paradas, cartões de crédito bloqueados e tendo que liquidar tudo o que havia construido com sua fortuna de um ex-jogador de NBA. Foi então que Walker se viu forçado a vender o seu anel de campeão por cerca de 24 mil dólares

Aos poucos, Walker foi recontruindo sua vida e hoje vive na única casa que ainda possui, com mais cinco membros de sua família no centro de Chicago. Todos os carros que ele possuia, foram vendidos. Hoje, se ele precisar ir a algum lugar, costuma chamar um UBER ou pede carona a algum amigo ou familiar.

Walker começou a palestrar pelos Estados Unidos dando o seu caso como exemplo à jovens, o que levou o ex-jogador a ser contratado pela financeira Morgan Stanley.

Em 2014, a revista Sports Illustrated indicou que 60% dos atletas da NBA faliram em um espaço de cinco anos após o final de suas carreiras, entre eles nomes como Allen Iverson, Dennis Rodman e Letrell Sprewell.

Dá um play e confira o que rola no nosso som!