Dennis Rodman: o homem além da loucura
Espalhe por Whatsapp

Dennis Rodman: o homem além da loucura

Rafael Balthazar
Rafael Balthazar

5 anéis de campeão da NBA, 2 vezes All-Star, 2 vezes eleito Melhor Defensor do Ano, integrante do Hall of Fame do Basquete, melhor reboteiro da história. Títulos e conquistas não faltam para definir Rodman como jogador. Além disso, adicione uma vida cheia de romances, polêmicas, encontros com ditadores coreanos e as maiores maluquices que se pode imaginar. O resultado, como vocês verão abaixo, é uma das personalidades mais autênticas e controversas que a NBA já conheceu.

Origem: vida nada fácil e roubo de 50 relógios

Rodman nunca teve uma vida fácil. Nascido em Trenton, viu seu pai, Philander Rodman, fugir da família logo cedo, aos 5 anos. Atitude essa que seria comum na vida de Philander, que teve 29 FILHOS com 16 ESPOSAS diferentes. A falta de uma figura paterna influenciou muito na forma como Rodman se relacionava com o mundo, principalmente com sua mãe, Shirley Rodman. Ele era muito apegado à ela no início, mas sentia que havia uma preferência pelas suas irmãs na casa.

Além disso, Dennis sempre teve que lidar com suas irmãs sendo muito mais talentosas e bem-sucedidas que ele no basquete do colegial, época em que ele ainda era pequeno e não demonstrava muita habilidade com a bola na mão. As duas chegaram a ser ‘’All-American’’ no basquete, e apesar de ter ficado feliz pela conquista delas, Rodman se via excluído pelos outros, quase como se não fosse importante.

Esse sentimento fez com que ele nunca se encaixasse em algum lugar, resultando no seu fracasso nos esportes e numa troca intensa de trabalho, até trabalhar como faxineiro no Aeroporto de Dallas. O pior veio quando Rodman aceitou o desafio de um amigo e roubou 50 RELÓGIOS de uma loja da cidade. Isso fez com que ele fosse pego, preso e solto depois de uma noite. Apesar de não ter tido uma pena maior, essa foi a gota d'água da relação com sua mãe. Shirley se cansou da infantilidade de Dennis e o deu um ultimato: Ou segue na linha ou vai pra rua. Não é muito difícil adivinhar o que ele escolheu, então após esse incidente Rodman foi expulso de sua casa pela mãe.

Após certo tempo ele veio a crescer e se destacar no basquete, tendo boas médias pelos times que passava. Mas a família ainda era um problema que ele não sabia lidar muito bem, tendo uma vez ido embora de sua casa. Acabou encontrando um lar na fazenda da família de um amigo seu, que havia defendido depois de um incidente durante uma caçada. Segundo o próprio, ele passou de uma vida agitada na cidade para ficar lidando com vacas no campo.

Vida de NBA: muitos rebotes, muitas polêmicas

Além de títulos e recordes a carreira de Dennis Rodman na NBA foi marcada pelas maiores maluquices e polêmicas que a liga já tinha visto em toda a sua história. Draftado pelo Detroit Pistons na vigésima sétima escolha do draft de 1986, Dennis sempre foi uma força da natureza e definitivamente não se importava com o que os outros pensariam sobre suas ações. A primeira prova disso na NBA foi quando, em 1987, Rodman disse que Larry Bird não era tão bom jogador assim, mas que só foi MVP três vezes por ser branco! Bem ousado pra um jogador que tinha acabado de chegar na liga.

O basquete foi muito bom para mim. Eu não sei onde poderia estar agora. Eu poderia já estar morto, poderia ter sido um traficante, poderia ter sido um mendigo. Na verdade, eu era um mendigo. 

Nas suas quatro primeiras temporadas conquistou 2 títulos pelo Pistons, ao lado de Isiah Thomas e Joe Dumars, se estabilizando como uma força defensiva que poderia marcar qualquer tipo de jogador. Aos poucos a franquia de Detroit foi enfrentando problemas sérios, o que mais uma vez mexeu com a cabeça de Rodman. Junto a isso, ele sofria com a disputa pela sua filha contra sua ex-esposa, que prometia levar a garota para a Europa, impedindo que ela visse o pai novamente. Toda essa situação o afetou tanto que, num momento de descontrole, o jogador ficou dentro do seu carro com um rifle pensando se deveria ou não se matar. E pra piorar, o seu carro estava estacionado bem na frente do Palace of Auburn Hills, a casa dos Pistons à época.

Image title

Rodman comemora com a camisa do Pistons com o então jogador do Celtics e hoje General Manager, Danny Ainge ao fundo.

Image title

Eu era mais faminto do que aqueles caras que jogavam comigo. Cada rebote era um desafio pessoal.

O medo de Rodman cometer suicídio se tornou gigante entre seus amigos e familiares, mas nenhum incidente do tipo aconteceu novamente. Principalmente pela ajuda de Craig Sager, Phil Jackson e Chuck Daly, homens que ele passou a considerar como pais. Phil Jackson inclusive veio a ser ainda mais importante na vida de Dennis, já que este se tornaria seu técnico na conquista dos seus terceiro, quarto e quinto títulos de campeão da liga. Depois de tantos anos estando do lado de Detroit nas séries (e brigas!) entre Pistons e Bulls, Rodman iria para Chicago jogar com Michael Jordan e Scottie Pippen.

Nesse período também, Dennis Rodman teve um relacionamento totalmente absurdo com a Madonna, chegando até a viajar de Las Vegas até Nova York só para transar com ela. Como ele mesmo conta aqui:

Eis o quão longe isso foi. Uma vez eu estava em Las Vegas numa mesa de apostas quando recebi uma ligação frenética. Era tipo uma daquelas ligações de ‘’Alguém morreu, socorro’’ direto de Nova York. Eu peguei o telefone e Madonna estava tipo ‘’Eu estou ovulando, eu estou ovulando, eu estou ovulando! Vem pra cá logo! Então eu deixei minhas fichas na mesa, viajei 5 horas pra Nova York e fiz o que tinha que fazer. (…) Depois disso eu viajei de volta pra Las Vegas e peguei o jogo de onde eu tinha parado.

Não bastasse um relacionamento com a Madonna, Rodman chegou até a casar com a Carmen Electra, mas depois disse que estava bêbado na ocasião e desmanchou tudo.

Image title

Rodman durante turnê de divulgação do seu livro em 1990:  "Bad As I Wanna Be."

Vida após a NBA: um dos maiores jogadores da história

Mesmo com as confusões foras de quadra e de todas as brigas, trash-talks e agressões dentro dela, Rodman se aposentou como um dos maiores jogadores da história. Liderou a liga em rebotes por 7 temporadas, feito que nem estrelas consagradas da NBA como Wilt Chamberlain e Bill Russell conseguiram, mesmo sendo contemporâneo de alguns dos maiores pivôs que já jogaram basquete.

Fora da NBA não deixou de colecionar polêmicas também, principalmente por sua amizade com o ditador norte-coreano Kim Jong-un. Também nunca escondeu seu apoio à campanha do presidente Donald Trump, sempre reforçando que os Estados Unidos precisavam seriamente de um homem de negócios como ele no poder. Seria Dennis Rodman o futuro conciliador entre Estados Unidos e Coreia do Norte?

Não deixe as outras pessoas dizerem quem você é.

Porém o que se pode perceber com todo este estudo sobre Dennis Rodman é o quanto suas relações familiares afetaram a forma como ele via e lidava com o mundo. Apesar de ser sempre visto pela mídia e pelos fãs como a figura estranha e maníaca da NBA, The Worm nos provou, principalmente através do seu discurso no Hall da Fama, que atrás de todas as tatuagens, piercings, tintas de cabelo e histórias impensáveis há um homem tentando desesperadamente se encontrar. Atrás da figura Dennis Rodman há o pai, filho, amigo, marido e companheiro de time que tem emoções e arrependimentos fortes sobre sua vida, mas que ainda assim deseja se tornar algo melhor, além da sua caricatura que o mundo insiste em exaltar.

Ao final de tudo, Rodman transformou sua carreira em uma grande ferramenta de se mostrar para o mundo e liberar todo o turbilhão de emoções que ele era. E por mais maluca e imprevisível que a jornada até aqui tenha sido, o basquete não poderia agradecer mais pela presença do Bad Boy de Detroit em suas quadras.

Image title

Image title

Dá um play e confira o que rola no nosso som!