Espalhe por Whatsapp

3 razões para que Space Jam 2 seja um fiasco

Renato Campos
Renato Campos

Depois de mais de duas décadas, a sequência do amado Spam Jam de Micheal Jordan vai ter sua continuação. Space Jam 2: New Legacy, está programado para ser lançado em 16 de julho de 2021, e desta vez, LeBron James deve liderar um esquadrão na defesa da Terra. E ele tem um elenco All-Star atrás dele.

Também no filme estarão as estrelas como Damian Lillard, Klay Thompson e o companheiro de equipe de James ’Lakers, Anthony Davis. Ao lado da rapaziada, estarão as estrelas da WNBA Diana Taurasi e Nneka Ogwumike.

Apesar do hype do Space Jam 2, o site Clutch Sports fez uma lista apontando porque a edição de LeBron James não vai agradar os fãs da telinha e do basquete. Vamos a ela!

3- O visual do Space Jam 2 é totalmente diferente

Um dos fatores mais queridos do primeiro Space Jam foram as camisetas que Jordan e sua equipe usaram em seu jogo contra os Monstars. Décadas após o lançamento de Space Jam, homens e mulheres de todas as idades ainda são vistos por ai com as camisas originais.

Essas novas camisas não impactam da mesma forma.

A combinação verde-azulado e laranja é espalhafatosa, e parece nunca combinar. Mas aí está um problema ao recriar clássicos: sempre há acréscimos demais.

As camisetas originais eram simples e limpas. Claro, poderia ter havido acréscimos, mas não muitos. Por alguma razão, eles descartaram todo o projeto e fizeram tudo diferente já a partir das camisetas.

Isso pode ser um péssimo presságio.

2- Sequências nunca são melhores do que o filme original

Há um ditado comum que diz que as sequências nunca são melhores do que o original. De um modo geral, o ditado é verdadeiro.

Conforme os filmes se tornam sequências, há uma necessidade estranha herdada de fazer referência ao original - seja piadas internas para os fãs ou recriando cenas. Isso tira o especial do filme, transformando-o em fan fiction.

Finalmente, alguns filmes não foram escritos com uma sequência em mente. Space Jam é um desses filmes. Foi baseado em Michael Jordan deixando a NBA e jogando beisebol. LeBron James, embora tenha feito uma turnê por times da NBA, nunca deixou a liga. Jordan jogando com o Looney Tunes o ajudou a perceber que ele adora jogar basquete, resultando na volta de MJ para a NBA. Não há uma correlação - a menos que em uma estranha reviravolta nos acontecimentos, faça o filme revelar algum desejo de LeBron.

Além disso, os Looney Tunes não são tão populares como eram nos anos 90. As crianças de hoje não cresceram assistindo Looney Tunes, ou mesmo os Baby Looney Tunes. Em vez disso, eles jogam Fortnite e assistem Bob Esponja. Seria surpreendente se as crianças soubessem quem são Pernalonga ou Patolino. Você poderia imaginar perguntar quem é o Papa-Léguas para as crianças nos dias de hoje?

Space Jam foi escrito para ser uma coisa única. Criar um novo conceito será muito difícil de emplacar.

1- O primeiro Space Jam já não foi tão bom

Space Jam é um filme querido, mas sejamos honestos, nunca foi um 'Vingadores' ou nem mesmo um 'Marley e eu'.

A nostalgia desempenha um grande papel nas memórias dos adultos atuais do amado filme. O Space Jam acrescentou ao legado cultural de Micheal Jordan e dos Looney Tunes. Tinha uma trilha sonora lendária e estava para sempre ligado à memória da aposentadoria precoce de Jordan e, em seguida, do lendário retorno.

Mas o filme em si não foi uma obra-prima. Para começar, a atuação foi desanimadora. Se você vai usar atletas da vida real, precisa equilibrá-los com atores que podem salvar uma cena e criar uma atmosfera.

Embora Space Jam seja a história de Michael Jordan, ele só é trazido ao mundo dos Looney Tunes depois de meia hora de filme. Até então, o público está entediado até as lágrimas com uma trama envolvendo a curta carreira de beisebol de Jordan e muita exposição.

Uma vez que Jordan é trazido ao mundo dos Looney Tunes, o filme se esforça para preencher o tempo até o confronto entre os Tunes e os alienígenas. Em vez disso, houve uma tonelada de cenas desnecessárias, como a de Pernalonga e Patolino voltando ao mundo real para comprar shorts de jogo que Michael esqueceu, mesmo que ele receba um uniforme do time poucos minutos depois.

O Space Jam não foi uma obra-prima, mas serviu como nostalgia cultural para uma geração inteira. A margem de erro da sequência com LeBron James era muito pequena para cumprir o legado do Space Jam e, pelo que parece, eles não têm o manual de instruções da turma dos Looneys.

Kyrie Irving dá sinceras desculpas aos torcedores do Nets

Curta o som Hoop78!

“High Flying Bird”, o novo filme de basquete da Netflix que você precisa assistir

Você já conhece a nossa lista de 5 filmes de basquete que você precisa assistir no Netflix, certo? Pois bem, agora pode acrescentar mais um. Estreou neste mês “High Flying Bird”, novo drama com nosso esporte mais querido de pano de fundo. Na trama, situada durante o locaute da NBA em 2011, o agente do jogador selecionado com a primeira escolha do Draft precisa encontrar soluções para que seu cliente não seja tão prejudicado pela paralisação da liga.

No desenrolar do enredo, temas como a relação entre donos de time e atletas, envolvendo questões sociais, raciais e de poder entram na pauta, de maneira bastante realista e objetiva, mas ainda assim tocando em pontos sensíveis do delicado equilíbrio de um negócio que vale bilhões de dólares.

Como se o enredo já não fosse interessante, o filme também é inovador. O diretor Steven Soderbergh, cujos filmes já venceram sete estatuetas do Oscar, gravou todas as cenas com um iPhone 8, equipado com uma lente especial.

Ficou interessado? Saca só o trailer do filme, e conta pra gente o que achou depois de assistir:


Curta o som Hoop78!