Espalhe por Whatsapp

As 3 maiores mudanças que levaram o Celtics ao título da NBA

Renato Campos
Renato Campos
19 de Junho

O Boston Celtics conquistou seu 18º campeonato de forma dominante. O time perdeu apenas três jogos nos playoffs depois de uma temporada regular incrível com 64 vitórias e 18 derrotas. Jayson Tatum está só começando a brilhar, e o Celtics mostrou ser um time de muita qualidade ao longo dessa jornada.

O Celtics chegou perto de conquistar o título várias vezes nos últimos anos. Foi para as finais da NBA em 2022, mas perdeu para o Warriors, e chegou a cinco finais de conferência em sete anos. Com tantas tentativas frustradas e derrotas dolorosas, muita gente duvidava se Boston conseguiria finalmente vencer. O Celtics deu uma resposta enfática e está pronto para continuar a trilhar seu caminho de sucesso no futuro.

Brad Stevens merece muitos créditos pelo campeonato do Celtics. Ele poderia ter mantido o time como estava na última offseason. E embora o time tenha tido bons resultados, o presidente de operações de basquete não estava satisfeito. Stevens foi ousado e três movimentações fizeram o Celtics ser campeão novamente.

A troca de Marcus Smart por Kristaps Porzingis

Marcus Smart era uma peça-chave desta era do Celtics. Era frequentemente mencionado como o coração e a alma do time. Atrás de Tatum e Brown, o persistente defensor era o melhor e mais popular jogador do Celtics. Os fãs do Celtics não queriam ver Smart partir, mas Stevens sabia que precisavam de um pivô.

A habilidade de KP de jogar no garrafão permitiu que Boston mudasse seu estilo de jogo, o que foi enorme. Porzingis teve dificuldades para se manter saudável, mas foi um diferencial nas finais da NBA. Ter um jogador de 2,21 metros no garrafão é um grande obstáculo para os adversários, e seu jogo ofensivo tornou o Celtics imparável.

Essa troca ousada já poderia ter sido suficiente, mas Stevens ainda tinha mais planos.

O Celtics dispensou Grant Williams para economizar dinheiro

Boston recrutou Williams na primeira rodada em 2019, e ele rapidamente se tornou uma peça importante da rotação. Durante a campanha para as finais da NBA de 2022, o ala teve médias de 8,6 pontos, 3,8 rebotes e 0,8 tocos em 27,3 minutos por jogo. Sua defesa foi impactante, mas o Celtics o negociou em um sign-and-trade por três escolhas de segunda rodada.

Com o novo teto salarial entrando em vigor totalmente nesta offseason, os gastos se tornaram um problema. O Celtics queria economizar dinheiro, mas isso forçou a se separar de um jogador talentoso. Boston parecia um jogador a menos após essa movimentação. Poucos sabiam que a peça que faltava estava por vir.

A chegada de Jrue Holiday garantiu o campeonato

O Celtics não deveria ter sido capaz de adquirir Jrue Holiday. O duas vezes All-Star ganhou um campeonato com o Bucks e era o armador titular deles, mas quando Milwaukee teve a chance de adicionar Damian Lillard, Holiday acabou ficando disponível. O armador foi para Portland, abrindo a porta para Stevens e o Celtics.

Não houve hesitação em trocar Malcolm Brogdon, Robert Williams III e duas escolhas de primeira rodada por Holiday. Seus números diminuíram em Boston, mas ele estava disposto a desempenhar qualquer função. Sua forte defesa no perímetro foi decisiva, e Holiday fez várias jogadas importantes durante os playoffs. O Celtics não ganha o campeonato sem Jrue Holiday, e tem que agradecer ao Bucks.

Brad Stevens merece muito crédito por ser ousado. O Boston Celtics ganhou o campeonato com base nessas três movimentações. Teve o melhor top seis da NBA durante toda a temporada e os levou ao campeonato. O 18º banner está em Boston, e o Celtics está pronto para ser um time de elite por muitos anos.

Fique por dentro

Os 10 maiores jogadores da história do Boston Celtics

Rumores da NBA: Os 11 melhores agentes livres ainda disponíveis no mercado

NBA: Por Que a Torcida do Celtics odeia Kyrie Irving

Acompanhe o Hoop78

No Instagram

No Spotify

Curta o som Hoop78!