Espalhe por Whatsapp

"Shake" Milton, a história por trás do apelido que está abalando a NBA

Ricardo Romanelli
Ricardo Romanelli

Malik "Shake" Milton, ou apenas Shake Milton, como é conhecido, tem sido uma das grandes estórias da NBA nas últimas semanas. Com mais minutos e mais responsabilidade em quadra após a lesão de Ben Simmons, o armador tem mostrado para a torcida do Philadelphia 76ers que evoluiu desde que chegou ao time em 2018, e que depois de tanto procurar, talvez o técnico Brett Brown finalmente tenha encontrado um armador reserva.

Aos 23 anos de idade, ele vem fazendo grandes atuações pela equipe do Sixers, que ainda busca mando de quadra nos playoffs. Desde que Ben Simmons lesionou a coluna, Shake viu seu papel crescer e isso culminou com duas marcas interessantes na partida contra o Los Angeles Clippers. Não apenas ele anotou 39 pontos contra uma das melhores defesas da NBA, mas também bateu um recorde da liga: se tornou o primeiro jogador na história a converter 14 bolas de três seguidas sem errar, entre as partidas contra Cleveland Cavaliers, New York Knicks e o próprio Clippers.

Mas a esta altura, você já conhece Shake Milton e seu jogo, só que provavelmente não sabe a origem de seu curioso apelido, que pegou tanto que muita gente nem sabe que seu nome de verdade não é "Shake", certo?

Tudo começou quando sua mãe, Lisa, estava grávida. Ela tinha 27 anos na época e seu marido, o pai de Shake, Myron, já falecido, tinha o apelido de "Milk" (leite). Isso porque quando ele era novo, teve um estirão de crescimento tardio, e cresceu muito em pouco tempo, o que fez com que as pessoas dissessem que ele "devia estar tomando muito leite".

O apelido de Milk acompanhou Myron a vida toda, e por isso quando Lisa estava grávida, um amigo lhe encontrou e perguntou "como está o pequeno Shake?". A mãe do atleta do Sixers ficou surpresa na hora, mas logo entendeu a referência, o "pequeno Milk-Shake". A família adorou a ideia de pai e filho terem apelidos interligados, e desde cedo incentivou o jovem Shake a ser conhecido pela famigerada alcunha.

"Mesmo quando fomos matriculá-lo na escola, meu marido insistiu que chamassem ele de Shake, e a escola aceitou." - Lisa Milton.


O próprio Shake garante que adora o apelido, e que realmente as pessoas mal sabem seu verdadeiro nome:

"Eu amo. Realmente amo. Ninguém me chama de Malik. Mesmo antes de ter nascido, me chamavam de Shake. Tenho sido Shake minha vida toda." - Shake Milton.

Até seus companheiros de time ficam surpresos com a história. A maioria deles ficou sabendo da curiosa origem do apelido alguns meses atrás, num jantar em Indiana, onde cada um falou sobre a origem de seu nome. Tobias Harris comentou que é uma história bem legal, mas muitos atletas ficaram surpresos ao descobrir que Shake não era o verdadeiro nome de Malik:

"Sempre achei que esse [Shake] fosse o verdadeiro nome dele! Essa é a melhor parte destes encontros do time, você descobre coisas sobre seus companheiros." - Mike Scott. 
"Jogamos juntos há dois anos e eu não sabia, mas isso é culpa dele e não minha. Acho que o próprio Shake não sabia que ele tinha um nome." - Furkan Korkmaz. 

E até mesmo seu técnico foi surpreendido, entre risadas:

"Nunca soube disso. Ele sempre será Shake para mim." - Brett Brown. 

Image title

É uma pena que "Milk" não esteja vivo para ver o sucesso do filho "Shake". Ele faleceu subitamente em 2012, aos 43 anos. Mas foi ele o responsável por incentivar o filho no esporte. "Milk" era técnico no sistema AAU, e com apenas três anos de idade "Shake" já lhe acompanhava nos treinos para aprender a jogar, e quando mais velho sempre jogou contra crianças 4-5 anos mais velhas que ele. 

Poucos apelidos na NBA se tornam tão icônicos de maneira tão rápida, mas Shake Milton conseguiu este feito. Ao confundir seu nome com sua alcunha, o armador conseguiu se colocar em evidência, e com o que vem jogando nos últimos jogos, ninguém vai esquecer seu nome (ou apelido) tão cedo!

*As declarações para esta matéria foram obtidas em original da NBC Sports. 


Dá um play e confira o que rola no nosso podcast!