Espalhe por Whatsapp

NBA: Blazers e Billups não se importaram com seus torcedores

Renato Campos
Renato Campos
02 de Julho

O Blazers teve a chance de que seu novo treinador, Chauncey Billups, pudesse explicar sobre as alegações de abuso sexual de 1997 contra ele. Embora Billups tenha sido saído ileso, grande parte dos torcedores queriam mais exclarecimentos do porque o caso ter sido resolvido fora do tribunal. Mas ao invés disso, o Blazers resolveu que seu treinador não tocasse no assunto, mesmo questionado.

Billups chegou a dizer que o incidente mudou sua vida, mas quando alguém lhe perguntou como, a equipe de relações públicas do Blazers encerrou a questão. O gerente geral de longa data Neil Olshey, disse que a franquia contratou uma empresa especializada de investigação, é que o caso estava encerrado por lá.

“Acredite em nossa palavra” não é uma resposta satisfatória. O Blazers não se pronunciar publicamente é um insulto aos seus torcedores que colocaram em cheque a contratação de Billups. O Blazers deveria tê-lo deixado falar.



Entenda o caso

Este é um esboço geral do que se sabe sobre a alegação: uma mulher disse que Billups, o então companheiro de equipe do Celtics, Ron Mercer, e um terceiro homem a forçou a atos sexuais. Ela foi para um hospital e deu sinais de ter sido agredida. Os jogadores disseram que os atos que os envolveram foram consensuais. Nenhuma acusação foi apresentada. Eles resolveram um processo civil.

As pessoas podem tirar suas próprias conclusões disso. Como o caso não foi levado ao tribunal, não houve veredicto - mas também, não tiveram evidências e os depoimentos que informariam as opiniões sobre o que aconteceu. Faltam peças da história. Isso não significa que essas peças provem a culpa de Billups ou o exoneram. Significa apenas que elas estão faltando.

Se as pessoas pensam que o Blazers cometeu um erro ao contratar Billups, então essa é uma opinião razoável. E é exatamente isso que Olshey deveria ter dito: Respeitamos essas opiniões. O GM poderia ter mostrado alguma compaixão pelas vítimas de agressões sexuais que podem achar doloroso considerar que o treinador de sua equipe possa ter cometido tal ato.

Não há como saber exatamente como as acusações contra Billups e Mercer seriam hoje. Na década de 1990, especialmente, porém, assinar um acordo foi um caminho rápido para fazer as acusações irem embora, quer você fosse culpado ou simplesmente não quisesse o custo e o constrangimento público de um processo judicial.

A história se desvaneceu. Billups se livrou e se tornou uma estrela em Detroit. Em 2017, o Cavaliers ofereceu a Billups um contrato de cinco anos para dirigir operações de basquete - um cargo maior do que o de treinador, e no qual essa alegação é ainda mais relevante porque ele teria supervisionado mais funcionários.

A denúncia virou história agora, especialmente em Portland, um mercado que vê sua equipe como um reflexo da comunidade. Mas a noção que está se espalhando em Portland de que Olshey acabou de contratar Billups porque ele é um velho amigo, não se baseia na realidade.

Fique por dentro

NBA: Stephen Curry é um dos cinco melhores jogadores de todos os tempos?

Bradley Beal decidiu seu futuro para a próxima temporada da NBA

NBA: Kyrie Irving revela porque agiu de forma agressiva com torcida do Celtics

Acompanhe o Hoop78

No Instagram

No Spotify

Curta o som Hoop78!