Espalhe por Whatsapp

NBA: Trae Young agora faz parte de clube seleto de LeBron James

Renato Campos
Renato Campos
05 de Julho

Depois de sua memorável atuação em sua primeira série de playoffs da NBA, o jogador do Atlanta Hawks, Trae Young, juntou-se ao principal nome do Lakers, LeBron James, como o único jogador a realizar um feito muito específico.

Young teve uma média de 28.8 pontos e 9.5 assistências em 16 jogos da pós-temporada, duplicando a façanha de LeBron de ter uma média de pelo menos 28 pontos e nove assistências em uma única pós-temporada com pelo menos 15 jogos disputados.

LeBron alcançou a façanha nos Playoffs da NBA 2018, levando o Cleveland Cavaliers as finais da NBA. Em uma de suas melhores corridas de pós-temporada, LeBron quase sozinho liderou os Cavaliers, conseguindo quase o triplo-duplo de 34.0 pontos, 9.1 rebotes e 9.0 assistências.

Foi o último ano de LeBron com os Cavaliers, que apresentou um núcleo medíocre de Kevin Love, Kyle Korver, Jordan Clarkson, Tristan Thompson e George Hill. Ainda assim, ele os levou às finais da NBA antes de perder para o Warriors.

O incansável Young não conseguiu levar os Hawks para as finais da NBA, mas pode-se argumentar que ele tinha um elenco de apoio mais inexperiente do que LeBron. Com o heroísmo de Young, o Hawks esteve a apenas duas vitórias de avançar para as finais, apesar de não ter um único All-Star ao seu lado nesta temporada.

Trae Young provou várias vezes que é um superstar legítimo. É muito assustador pensar que ele tem apenas 22 anos, mas ele já fez o que LeBron James fez em seu auge.

Top Histórias

Klay Thompson tem ótimas notícias para todos os torcedores da NBA

O maior erro dos eliminados Lakers, Nets e Hawks nos playoffs da NBA

Caso de racismo na ESPN durante as finais da NBA vem à tona

Giannis Antetokounmpo vai jogar as finais da NBA?

Esse será o time de Damian Lillard na próxima temporada da NBA

O destino do Blazers depende de Damian Lillard. Este é um ponto que você concorda, certo? Lillard talvez já seja o melhor jogador da história da franquia de Portland, e perder o seu líder agora seria retroceder a estaca zero no planejamento de sua diretoria.

Com os rumores sobre Lillard aumentando em toda a NBA e as sugestões de troca se espalhando por todo lado, Lillard só vai deixar o time se ele quiser.

Francamente, o Blazers não vai conseguir ninguém de mesmo valor de Lillard agora, e o jogador não tem mercado, financeiramente falando, para ir para um time e disputar imediatamente um título.

Sem Lillard, Robert Covington fica ainda mais perdido e Jusuf Nurkic se torna um pivô comum. CJ McCollum possivelmente ainda seria ele mesmo, mas enfrentaria uma pressão defensiva cada vez maior se tornando o ponto principal do ataque do Blazers. Para ainda ficar pior, o Blazers dificilmente conseguiria reconstruir seu elenco em torno de um McCollum com seus 30 anos de idade.

Dito isso, o torcedor do Blazers não precisa se preocupar durante essa offseason com todos os rumores e especulações que cercam o seu maior ídolo. Em teoria, Lillard poderia exigir uma negociação a qualquer momento, mas na prática diversos fatores pesam contra esse cenário.

Lillard tem mais três anos de contrato, com uma opção de jogador no quarto ano de US$ 48,8 milhões. O mais rápido que ele poderia sair de Portland, se não negociado, seria na offseason de 2024. Isso implicaria em desistir de quase US$ 50 milhões da sua opção, aos 34 anos de idade. Isso não é impossível. Jogadores com mais de 34 anos optaram por não fazer grandes negócios. Se Lillard estiver saudável e produtivo nesse ponto, faria sentido mergulhar em um novo contrato de vários anos que pague mais de US$ 49 milhões. Mas, dessa perspectiva, contemplar esse movimento três anos depois, ainda é um risco e ainda é uma fortuna na mesa. Se Lillard quiser garantir todo o seu dinheiro, o mais rápido que poderá sair do time é para a temporada 2025.

O Blazers não vai querer manter Dame por perto se ele estiver insatisfeito. Com essa duração de contrato, no entanto, eles não precisam agir rapidamente. A negociação por Lillard é extremamente difícil por agora. Mesmo que ele esteja infeliz (e não sabemos disso), o Blazers pode continuar com a premissa de buscar reforçar o elenco para mais uma chance para o jogador. Ele provavelmente estaria disposto a ouvir.

Isso é duplamente verdadeiro porque a imagem de Lillard tem, até este ponto, sido imaculada. Sua marca é uma das melhores do esporte, superando a até então incapacidade do Blazers em conquistar algo maior. Isso tem sido uma parte tão importante de seu sucesso quanto o talento. Lealdade e simpatia sempre foram os pilares. Exigir uma troca e, em seguida, se envolver em uma guerra com a franquia, impactaria essa imagem.

É muito mais provável que Lillard se incline para uma demanda de negociação de forma natural, avaliando à distância, do que se apresentar e pedir uma troca pública.

Por todas essas razões, não devemos ver nenhuma negociação imediata para uma saída de Lillard. Talvez seja uma grande possibilidade na próxima offseason do próximo ano, com o aumento da pressão. Mas por agora, Dame deve ficar onde ele está.

Fique por dentro

O ranking das melhores franquias da NBA nos últimos 5 anos

Prevendo a escalação titular e o melhor reserva de cada time da NBA para a temporada 2022-23

NBA: Russell Westbrook pode vestir a camisa do Heat?

Acompanhe o Hoop78

No Instagram

No Spotify

Curta o som Hoop78!