Espalhe por Whatsapp

Caso de racismo na ESPN durante as finais da NBA vem à tona

Renato Campos
Renato Campos
04 de Julho

A repórter de longa data da ESPN, Rachel Nichols, está acostumada a ser a responsável por notícias de última hora. Mas pelo que parece, ela é agora o assunto do momento, relacionado a um caso de racismo dentro da emissora.

Em julho de 2020, durante os playoffs da NBA no Bolha de Orlando, Rachel Nichols teria ficado chateada devido ao fato de Maria Taylor, uma mulher negra, cobrir as finais da NBA quando a própria Nichols esperava ser a única a conseguir esse trabalho.

Na época, e equipe do programa NBA Countdown se opõs a um decreto de produção de executivos que acreditavam ter sido emitido para beneficiar Rachel Nichols, apesar dos comentários que ela fez sugerindo que a apresentadora de "NBA Countdown", Maria Taylor, havia conseguido esse emprego porque ela é negra.

Rachel acabou extravasando suas frustrações em um telefonema com Adam Mendelsohn, um empresário e conselheiro de LeBron James, enquanto estava confinada em seu quarto em um hotel da Disney, mas não percebeu que seu vídeo ainda estava sendo transmitido. Desde então, esse vídeo circulou pela ESPN. A gravação foi aparentemente devido ao seu desconhecimento do novo equipamento, que eles começaram a usar quando a pandemia veio a tona.

“Desejo a Maria Taylor todo o sucesso do mundo - ela cobre futebol, americano ela cobre basquete”, disse Rachel Nichols em julho de 2020. “Se você precisar dar a ela mais coisas para fazer, porque está se sentindo pressionado por seu histórico ruim de longa data sobre diversidade - que, aliás, eu conheço pessoalmente por estar do lado feminino - tipo, vá em frente. Basta encontrá-lo em outro lugar. Você não vai encontrar de mim ou tirar minhas coisas. ”

Maria Taylor não aceitou a calúnia de Rachel Nichols. A estrela em ascensão da ESPN se sentiu injustamente desacreditada e só concordou em seguir em frente enquanto Nichols não fizesse parte da transmissão:

“Não vou me chamar de vítima, mas certamente me senti vitimizada e não acho que minhas queixas tenham sido levadas a sério”, escreveu ela em um e-mail para executivos da ESPN, duas semanas após o incidente com Rachel Nichols, que foi obtido pelo The Times. “Na verdade, a primeira vez que ouvi do RH após 2 incidentes de insensibilidade racial foi para perguntar se vazei a fita de Rachel para a mídia. Eu nunca faria isso."

Ela acrescentou: “O simples fato de ser uma mulher negra voltada para a frente nesta empresa tem cobrado seu preço física e mentalmente”.

O contrato de Maria Taylor deve expirar durante as finais da NBA deste ano. Parece cada vez mais provável que ela esteja nas últimas semanas com a gigante das transmissões esportivas.

Top Histórias

Giannis Antetokounmpo vai jogar as finais da NBA?

Esse será o time de Damian Lillard na próxima temporada da NBA

Os jogadores intocáveis de cada time da NBA

Sixers teria recusado proposta do Pacers por Ben Simmons

Kevin Durant pode estar recrutando ex-companheiro de LeBron James para o Nets

As finais da NBA podem ser um pesadelo para a liga

3 times que podem tentar convencer Kawhi Leonard a deixar o Clippers

Curta o som Hoop78!